A PLATAFORMA

A quandonde intervenções urbanas em arte (escrito em letra minúscula, substantivo comum, ordinário) é uma plataforma de ações em intervenção urbana surgida em Curitiba, Brasil, em março de 2012. O uso de plataforma como prenome dá-se pelo entendimento de que a quandonde se constitui enquanto território de tensões e afetos que seus membros criam entre si e a cidade. A cidade entra, assim, como coautora dos acontecimentos poéticos e as ações desenvolvem-se tendo como estratégia diferentes maneiras de acolher demandas e proposições dos espaços nos quais ocorrem. Outra característica singular desta plataforma é que, por pretender-se espaço de coafetação, está, desde sua criação, permanentemente aberta para criar novas redes com novos participantes, independentes destes se reconhecerem como artistas. O que tem nos unido nesse tempo é o desejo por des/re/construir o mundo a partir de uma perspectiva poética e colaborativa. Atuando na zona de tensão artes/cotidiano, nos valemos de procedimentos híbridos entre diferentes maneiras de estar e agir no/o mundo. Foi por esses caminhos que realizamos dezenas de Feiras de Trocas Poéticas, propondo trocas afetivas não-mercantis com os passantes de espaços públicos; ou que transcrevemos ao papel mais de uma centena de cartas ditadas por cidadãos que se abriram sob a condição de que nunca sejam entregues em Cartas Extraviadas; caminhamos de palhaço pelas ruas de cidades de todo o mundo em ações de Palhaçaria Itinerante, fizemos derivas teleguiadas em missões impossíveis de realizar senão em poesia em Espaços em Dobra e Entre Tropeços; trocamos encontro por pernoite em Canto para Dormir e muitas coisas mais... A plataforma realizou ações em 26 cidades de 9 estados brasileiros, bem como na África do Sul, Angola, Bélgica Espanha, Estados Unidos, França, Haiti, Inglaterra, Irlanda, Paraguai, Portugal, Togo e participou de festivais como Les Francophonies en Limousin (Limoges, FR), Quatre Chemins (Porto Príncipe e Petion Ville, RT), Palco Giratório e Amostra Urbana (Curitiba, BR), La Plataformance (São Paulo, BR), entre outros. E ainda há muito mais por vir!

 

Se você acredita em microrevoluções da urbe por meio da arte, venha compartilhar suas inquietações conosco!